Área: Destaque Home Secundarias Description:

KeyWords: CFO, CRO, dentistas, sinog

ID da Notícia: 1385

Modalidade:

Contexto: Home

Evento:

Data: 24/05/2012

Título: CFO - CRO repudiam nota do SINOG

Manchete: Aos cirurgiões-dentistas e à população


Corpo da notícia

    Nesta quinta-feira (24/05), o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), em conjunto com o Conselho Federal de Odontologia (CFO) publicou nota nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo repudiando uma publicação anterior (de 11/05) assinada pelo Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo - SINOG.
 O representante das operadoras afirmou em sua publicação, entre outras coisas, que “a negociação dos valores dos procedimentos odontológicos pagos pelas operadoras aos profissionais credenciados são individuais” e que, por isso, “nenhuma entidade de classe pode interferir nessas tratativas”.
 Essa mensagem foi motivada pela crescente reação do CROSP e demais instituições da área Odontológica contra a remuneração aviltante oferecida pelas empresas aos cirurgiões-dentistas, uma mão-de-obra altamente qualificada.
 Percebendo a união da classe contra a situação, o SINOG se antecipou com a nota para tentar desmobilizar os profissionais e continuar impondo suas condições predatórias individualmente.
 Diante disso o CROSP e demais instituições reafirmaram na nota publicada nesta quinta “o posicionamento de apoio incondicional à mobilização e às justas reivindicações dos cirurgiões-dentistas prestadores de serviços à Odontologia de Grupo”. Também garantiram que as entidades “não se curvarão aos interesses do mercado e não permitirão que a Odontologia seja tratada como mercadoria”.
 Veja abaixo a íntegra da nota assinada pelo CROSP e o CFO:
AOS CIRURGIÕES-DENTISTAS E À POPULAÇÃO
 O Conselho Federal de Odontologia e o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo não concordam com o teor da Nota de Esclarecimento veiculada pelo SINOG na imprensa no dia 11/05. Estas Autarquias reafirmam que o posicionamento do SINOG não contribui para a resolução dos problemas enfrentados por dezenas de milhares de cirurgiões-dentistas do Estado de São Paulo prestadores de serviços à Odontologia Suplementar, que, cotidianamente, demandam as Presidências e demais representantes destes Conselhos com justas reivindicações sobre o aviltamento na remuneração de procedimentos, glosas indevidas, pressões pela realização de radiografias desnecessárias , dentre outros problemas.
 O CFO o CROSP, e, todos os demais CRO´s, reafirmam o posicionamento de apoio incondicional à mobilização e às justas reivindicações dos cirurgiões-dentistas prestadores de serviços à Odontologia de Grupo. O CFO e o CROSP não se curvarão aos interesses do mercado e não permitirão que a Odontologia seja tratada como mercadoria.
 Cumpre-nos esclarecer que por sermos uma Autarquia Federal, cabe-nos também responsabilidade sobre a saúde da população. Somos e sempre seremos favoráveis ao diálogo, que norteará as nossas ações em favor de melhores condições na promoção da saúde e do exercício profissional.

    
Veja abaixo a íntegra da nota publicada pelo SINOG no dia 11/05:
 
 NOTA DE ESCLARECIMENTO:
 Em relação às recentes discussões envolvendo os planos odontológicos e os cirurgiões-dentistas, o Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo (SINOG) esclarece:
 - As negociações de valores dos procedimentos odontológicos pagos pelas operadoras aos profissionais credenciados são individuais, seguindo a lei e demais normativos regulatórios, dada a sua natureza, de relação contratual bilateral. Desse modo, nenhuma entidade de classe pode interferir nessas trativas.
 - O SINOG tem estimulado suas associadas no sentido de que os valores de remuneração sejam fixados e atualizados levando-se em consideração a legislação do setor, o equilíbrio financeiro da operadora, as condições macroeconômicas, a qualificação dos profissionais credenciados e localidade, com o fim de manter a devida estabilidade operacional. O profissional está inserido em uma operação, onde estão envolvidas várias relações que se convergem, sendo fundamental o equilíbrio entre todas elas.
 - Vale ressaltar que o segmento de odontologia de grupo, representado nacionalmente pelo SINOG, proporciona acesso a tratamento odontológico para 16,8 milhões de brasileiros de todas as classes sociais. Ao todo, 158 mil dentistas prestam atendimento a seus pacientes por meio de credenciamento de parte dessas operadoras.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo

APCD da Saúde
APCD-Saúde
Facebook - APCD da Saúde Twitter - APCD da Saúde Temos WiFi
Central de Atendimento APCD

Central de Atendimento

(11) 5078-7960

CFO - CRO repudiam nota do SINOG

Aos cirurgiões-dentistas e à população

Data da Notícia | 24/05/2012

    Nesta quinta-feira (24/05), o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), em conjunto com o Conselho Federal de Odontologia (CFO) publicou nota nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo repudiando uma publicação anterior (de 11/05) assinada pelo Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo - SINOG.
 O representante das operadoras afirmou em sua publicação, entre outras coisas, que “a negociação dos valores dos procedimentos odontológicos pagos pelas operadoras aos profissionais credenciados são individuais” e que, por isso, “nenhuma entidade de classe pode interferir nessas tratativas”.
 Essa mensagem foi motivada pela crescente reação do CROSP e demais instituições da área Odontológica contra a remuneração aviltante oferecida pelas empresas aos cirurgiões-dentistas, uma mão-de-obra altamente qualificada.
 Percebendo a união da classe contra a situação, o SINOG se antecipou com a nota para tentar desmobilizar os profissionais e continuar impondo suas condições predatórias individualmente.
 Diante disso o CROSP e demais instituições reafirmaram na nota publicada nesta quinta “o posicionamento de apoio incondicional à mobilização e às justas reivindicações dos cirurgiões-dentistas prestadores de serviços à Odontologia de Grupo”. Também garantiram que as entidades “não se curvarão aos interesses do mercado e não permitirão que a Odontologia seja tratada como mercadoria”.
 Veja abaixo a íntegra da nota assinada pelo CROSP e o CFO:
AOS CIRURGIÕES-DENTISTAS E À POPULAÇÃO
 O Conselho Federal de Odontologia e o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo não concordam com o teor da Nota de Esclarecimento veiculada pelo SINOG na imprensa no dia 11/05. Estas Autarquias reafirmam que o posicionamento do SINOG não contribui para a resolução dos problemas enfrentados por dezenas de milhares de cirurgiões-dentistas do Estado de São Paulo prestadores de serviços à Odontologia Suplementar, que, cotidianamente, demandam as Presidências e demais representantes destes Conselhos com justas reivindicações sobre o aviltamento na remuneração de procedimentos, glosas indevidas, pressões pela realização de radiografias desnecessárias , dentre outros problemas.
 O CFO o CROSP, e, todos os demais CRO´s, reafirmam o posicionamento de apoio incondicional à mobilização e às justas reivindicações dos cirurgiões-dentistas prestadores de serviços à Odontologia de Grupo. O CFO e o CROSP não se curvarão aos interesses do mercado e não permitirão que a Odontologia seja tratada como mercadoria.
 Cumpre-nos esclarecer que por sermos uma Autarquia Federal, cabe-nos também responsabilidade sobre a saúde da população. Somos e sempre seremos favoráveis ao diálogo, que norteará as nossas ações em favor de melhores condições na promoção da saúde e do exercício profissional.

    
Veja abaixo a íntegra da nota publicada pelo SINOG no dia 11/05:
 
 NOTA DE ESCLARECIMENTO:
 Em relação às recentes discussões envolvendo os planos odontológicos e os cirurgiões-dentistas, o Sindicato Nacional das Empresas de Odontologia de Grupo (SINOG) esclarece:
 - As negociações de valores dos procedimentos odontológicos pagos pelas operadoras aos profissionais credenciados são individuais, seguindo a lei e demais normativos regulatórios, dada a sua natureza, de relação contratual bilateral. Desse modo, nenhuma entidade de classe pode interferir nessas trativas.
 - O SINOG tem estimulado suas associadas no sentido de que os valores de remuneração sejam fixados e atualizados levando-se em consideração a legislação do setor, o equilíbrio financeiro da operadora, as condições macroeconômicas, a qualificação dos profissionais credenciados e localidade, com o fim de manter a devida estabilidade operacional. O profissional está inserido em uma operação, onde estão envolvidas várias relações que se convergem, sendo fundamental o equilíbrio entre todas elas.
 - Vale ressaltar que o segmento de odontologia de grupo, representado nacionalmente pelo SINOG, proporciona acesso a tratamento odontológico para 16,8 milhões de brasileiros de todas as classes sociais. Ao todo, 158 mil dentistas prestam atendimento a seus pacientes por meio de credenciamento de parte dessas operadoras.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo

© 2011 APCD - Regional Saúde. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento: PWI Sistemas