Área: Ultimas Noticias Home Description:

KeyWords: Falta dentistas da rede municipal odontologia coordenador de saúde bucal da secretaria falta de profissionais até o Programa de Saúde da Família foi afetado

ID da Notícia: 1465

Modalidade: Artigos Gerais

Contexto: Home

Evento:

Data: 04/10/2013

Título: São Paulo apresenta deficit na odontologia municipal

Manchete: Com uma Unidade de Saúde Básica sem estrutura e com uma falta de 520 dentistas na rede Municipal de saúde, o vereador Jonas Feijó solicitou melhorias no serviço de odontologia.


Corpo da notícia

Falta dentistas da rede municipal.

Com uma Unidade de Saúde Básica sem estrutura e com uma falta de 520 dentistas na rede Municipal de saúde, o vereador Jonas Feijó solicitou melhorias no serviço de odontologia na última prestação de contas Autarquia de Saúde. Os dados são preocupantes na cidade de São Paulo, há um déficit de 33% de dentistas na rede pública, 70% dos dentistas que trabalham, só fazem isso meio período, apenas quatro emergências são atendidas num dia e 30% das cadeiras odontológicas necessitam ser trocadas.

O vereador Feijó afirma que esses problemas vem de muito tempo e pediu para que na próxima Autarquia, o gasto publico para a rede odontológica seja especifico e detalhado. Houve um baixo investimento em odontologia em São Paulo, por falta de profissionais até o Programa de Saúde da Família foi afetado, das 443 Unidades Básicas de Saúde apenas 370 tem um atendimento odontológico, numa fila para colocação de prótese dentária, um paciente pode esperar até três anos e meio.

Em relatos, o coordenador de saúde bucal da secretaria, Douglas Schneider explicou que as dificuldades, tanto em contratar profissionais, quanto para a fila de próteses vem da baixa estrutura e conta que a prefeitura não tem um contrato de manutenção para manter os equipamentos e ainda afirma que o Ministério da Saúde não utilizou os recursos na escala pedida pela cidade.

Os problemas com a odontologia teriam começado quando o prefeito de São Paulo era Gilberto Kassab do PSD, mas sua assessoria discorda e informou numa nota que ampliou o número de dentistas em 42% e que a gestão do ex-prefeito era de conscientizar a população em relação a uma saúde bucal.

Já a atual gestão informou que serão necessários quatro anos para adequar o número de dentistas e que não há um número estimado de contratações para novos dentistas e que por enquanto não há como pensar numa expansão para a rede municipal de odontologia, o foco, no momento, é a melhoria.

Fonte: Estadão

APCD da Saúde
APCD-Saúde
Facebook - APCD da Saúde Twitter - APCD da Saúde Temos WiFi
Central de Atendimento APCD

Central de Atendimento

(11) 5078-7960

São Paulo apresenta deficit na odontologia municipal

Com uma Unidade de Saúde Básica sem estrutura e com uma falta de 520 dentistas na rede Municipal de saúde, o vereador Jonas Feijó solicitou melhorias no serviço de odontologia.

Data da Notícia | 04/10/2013

Falta dentistas da rede municipal.

Com uma Unidade de Saúde Básica sem estrutura e com uma falta de 520 dentistas na rede Municipal de saúde, o vereador Jonas Feijó solicitou melhorias no serviço de odontologia na última prestação de contas Autarquia de Saúde. Os dados são preocupantes na cidade de São Paulo, há um déficit de 33% de dentistas na rede pública, 70% dos dentistas que trabalham, só fazem isso meio período, apenas quatro emergências são atendidas num dia e 30% das cadeiras odontológicas necessitam ser trocadas.

O vereador Feijó afirma que esses problemas vem de muito tempo e pediu para que na próxima Autarquia, o gasto publico para a rede odontológica seja especifico e detalhado. Houve um baixo investimento em odontologia em São Paulo, por falta de profissionais até o Programa de Saúde da Família foi afetado, das 443 Unidades Básicas de Saúde apenas 370 tem um atendimento odontológico, numa fila para colocação de prótese dentária, um paciente pode esperar até três anos e meio.

Em relatos, o coordenador de saúde bucal da secretaria, Douglas Schneider explicou que as dificuldades, tanto em contratar profissionais, quanto para a fila de próteses vem da baixa estrutura e conta que a prefeitura não tem um contrato de manutenção para manter os equipamentos e ainda afirma que o Ministério da Saúde não utilizou os recursos na escala pedida pela cidade.

Os problemas com a odontologia teriam começado quando o prefeito de São Paulo era Gilberto Kassab do PSD, mas sua assessoria discorda e informou numa nota que ampliou o número de dentistas em 42% e que a gestão do ex-prefeito era de conscientizar a população em relação a uma saúde bucal.

Já a atual gestão informou que serão necessários quatro anos para adequar o número de dentistas e que não há um número estimado de contratações para novos dentistas e que por enquanto não há como pensar numa expansão para a rede municipal de odontologia, o foco, no momento, é a melhoria.

Fonte: Estadão

© 2011 APCD - Regional Saúde. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento: PWI Sistemas