Área: Ultimas Noticias Home Foto da Notícia:


Foto Média da Notícia:


Legenda da Foto:

Description:

KeyWords:

ID da Notícia: 1581

Modalidade:

Contexto: Home

Evento:

Data: 21/12/2015

Título: Dente pode ser reimplantado se levado ao hospital rapidamente

Manchete: Dente quebrado deve ser levado ao hospital até 2 horas após acidente, mais de um terço dos traumatismos bucais acontece na prática de esportes.


Corpo da notícia

Dente pode ser reimplantado se levado ao hospital rapidamente

Dente quebrado deve ser levado ao hospital até 2 horas após o acidente.

Mais de um terço dos traumatismos bucais acontece na prática de esportes.

 

Você já quebrou o dente? E o que fez com ele? Os cirurgiões bucomaxilofaciais Gabriel Pastore e Sidney Neves explicaram como agir após um traumatismo bucal.

 

Se transportado adequadamente até o hospital no prazo de até duas horas (quanto menor o tempo, maior o sucesso da reimplantação), o mesmo dente do paciente pode ser recolocado. Se apenas um pedaço do dente foi quebrado, ele também pode ser recolocado se levado a tempo ao hospital e não corre o risco de ficar na cor diferente.

Isso acontece porque os ligamentos periodontais, dentro desse período, estão preservados. São parecidos com fios vermelhos, finos como um fio de cabelo, que ligam os dentes à gengiva e ao osso do maxilar - também chamado de rebordo alveolar. A gengiva é somente o “carpete”, ou seja, o revestimento externo do osso.

 

 

Acidentes com dentes de leite, abcessos por causa do dente do siso e trauma de mandíbula também são casos de urgência e que demandam socorro rápido e adequado. Dor ao beber líquidos, mastigar e até com o ar pode ser sinal de fratura do dente. Nesse caso, é necessário procurar um dentista assim que possível para fazer uma radiografia.

 

Algumas cidades têm prontos-socorros especializados em odontologia, que atendem via SUS e outras têm o profissional no plantão médico dos prontos-socorros comuns.

Não há estimativas nacionais, mas a Associação Americana de Odontologia (ADA) estima que um terço de todos os traumatismos bucais está relacionado a práticas desportivas. O uso de protetor bucal poderia evitar mais de 200 mil ferimentos a cada ano. No Brasil, as crianças em idade escolar, de 6 a 9 anos, estão mais suscetíveis aos traumas dentários pelo tipo de atividade nos parques de diversão, como andar de skate, jogar bola e brincar na gangorra.

Para os traumas faciais que levam a fratura dos ossos, a maior incidência recai sobre os homens entre 18 e 25 anos de idade, que estão mais expostos a esportes de contato, violência, trauma automobilístico e principalmente acidentes com motocicletas.

Quando não é possível colocar o próprio dente da pessoa, a saída são os implantes, popularizados nas clínicas classe C e já disponíveis em alguns centros de especialidades do SUS. Neste tipo de tratamento, a demanda de pacientes sempre é muito maior que a oferta.

Os implantes, porém, não são para todos: é preciso ter estrutura óssea adequada. Além disso, doenças crônicas, como diabetes, podem complicar. Ao implantar o dente, ele consegue fazer o papel mecânico dentro do osso, fortalecendo e impedindo que a estrutura óssea seja absorvida (o que ocorre quando a pessoa fica desdentada) e que a boca fique murcha.

Mesmo com implante, a pessoa tem que ter cuidado com as comidas muito duras e grudentas nos primeiros meses para dar tempo do osso que ficou ao redor do implante ficar mais resistente, gerando uma estabilidade melhor a cada dia, até ficar completamente grudado no osso.

 Fonte Portal G1


APCD da Saúde
APCD-Saúde
Facebook - APCD da Saúde Twitter - APCD da Saúde Temos WiFi
Central de Atendimento APCD

Central de Atendimento

(11) 5078-7960

Dente pode ser reimplantado se levado ao hospital rapidamente

Dente quebrado deve ser levado ao hospital até 2 horas após acidente, mais de um terço dos traumatismos bucais acontece na prática de esportes.

Data da Notícia | 21/12/2015

Dente pode ser reimplantado se levado ao hospital rapidamente

Dente quebrado deve ser levado ao hospital até 2 horas após o acidente.

Mais de um terço dos traumatismos bucais acontece na prática de esportes.

 

Você já quebrou o dente? E o que fez com ele? Os cirurgiões bucomaxilofaciais Gabriel Pastore e Sidney Neves explicaram como agir após um traumatismo bucal.

 

Se transportado adequadamente até o hospital no prazo de até duas horas (quanto menor o tempo, maior o sucesso da reimplantação), o mesmo dente do paciente pode ser recolocado. Se apenas um pedaço do dente foi quebrado, ele também pode ser recolocado se levado a tempo ao hospital e não corre o risco de ficar na cor diferente.

Isso acontece porque os ligamentos periodontais, dentro desse período, estão preservados. São parecidos com fios vermelhos, finos como um fio de cabelo, que ligam os dentes à gengiva e ao osso do maxilar - também chamado de rebordo alveolar. A gengiva é somente o “carpete”, ou seja, o revestimento externo do osso.

 

 

Acidentes com dentes de leite, abcessos por causa do dente do siso e trauma de mandíbula também são casos de urgência e que demandam socorro rápido e adequado. Dor ao beber líquidos, mastigar e até com o ar pode ser sinal de fratura do dente. Nesse caso, é necessário procurar um dentista assim que possível para fazer uma radiografia.

 

Algumas cidades têm prontos-socorros especializados em odontologia, que atendem via SUS e outras têm o profissional no plantão médico dos prontos-socorros comuns.

Não há estimativas nacionais, mas a Associação Americana de Odontologia (ADA) estima que um terço de todos os traumatismos bucais está relacionado a práticas desportivas. O uso de protetor bucal poderia evitar mais de 200 mil ferimentos a cada ano. No Brasil, as crianças em idade escolar, de 6 a 9 anos, estão mais suscetíveis aos traumas dentários pelo tipo de atividade nos parques de diversão, como andar de skate, jogar bola e brincar na gangorra.

Para os traumas faciais que levam a fratura dos ossos, a maior incidência recai sobre os homens entre 18 e 25 anos de idade, que estão mais expostos a esportes de contato, violência, trauma automobilístico e principalmente acidentes com motocicletas.

Quando não é possível colocar o próprio dente da pessoa, a saída são os implantes, popularizados nas clínicas classe C e já disponíveis em alguns centros de especialidades do SUS. Neste tipo de tratamento, a demanda de pacientes sempre é muito maior que a oferta.

Os implantes, porém, não são para todos: é preciso ter estrutura óssea adequada. Além disso, doenças crônicas, como diabetes, podem complicar. Ao implantar o dente, ele consegue fazer o papel mecânico dentro do osso, fortalecendo e impedindo que a estrutura óssea seja absorvida (o que ocorre quando a pessoa fica desdentada) e que a boca fique murcha.

Mesmo com implante, a pessoa tem que ter cuidado com as comidas muito duras e grudentas nos primeiros meses para dar tempo do osso que ficou ao redor do implante ficar mais resistente, gerando uma estabilidade melhor a cada dia, até ficar completamente grudado no osso.

 Fonte Portal G1


Galeria de Fotos

O que fazer em caso de traumatismo

socorro dentário

© 2011 APCD - Regional Saúde. Todos os direitos reservados. Desenvolvimento: PWI Sistemas